(14) 99151.5802
contato@drielequinhoneiro.com

O que é autocompaixão e como pode nos ajudar no sofrimento com a comida?

O que é autocompaixão e como pode nos ajudar no sofrimento com a comida?

A autocompaixão é uma característica que pertence a todos nós. Na sua essência, é entendida como nós mesmos gostaríamos de sermos tratados. Imagine como você trataria um bom amigo em um momento de necessidade ou sofrimento! É exatamente isso! Autocompaixão é baseada em três pilares:  autobondade, humanidade compartilhada e mindfulness.

Autobondade trata-se sobre sermos gentis e amorosos em relação a nós mesmos e não tão exigentes ou críticos como atualmente.

Humanidade compartilhada é entender que todos nós temos desafios e falhas a serem enfrentados; SER IMPERFEITO É PARTE DA EXPERIÊNCIA HUMANA.

Mindfulness é a consciência gentil do momento presente.

Juntos esses conceitos são a base da autocompaixão.

A experiência de se alimentar, ou a nossa relação com a comida em muitas situações é um desafio, não é mesmo? Às vezes não nos sentimos bem sobre nossas escolhas alimentares e a forma como percebemos o nosso corpo, ainda é comum comer respondendo às nossas emoções e não à fome física.

Se você é como muitos de nós, aprendeu a usar a comida como uma forma de enfrentar as dificuldades da vida, e às vezes nos leva a nos sentirmos desequilibrados, envergonhados ou arrependidos.

Quando confrontados com essa situação desconfortável, ao invés de sermos críticos e nos ferir como estamos acostumados, nós podemos estimular a dádiva da autocompaixão e atravessar nosso sofrimento de uma maneira amável e atenta, e não nos voltarmos contra nós mesmos.

Por que até agora que vantagens você percebeu ao insistir na autocrítica e na luta com você mesmo?

Pense sobre como você trataria um bom amigo que está com dificuldades com a comida, talvez ele esteja usando os alimentos para lidar com o estresse ou se sente confuso com as mensagens sobre o que se deve ou não comer- ou simplesmente se sente perdido sobre suas ações e motivações alimentares.

Pense nas palavras que você diria ao seu amigo, o suporte que você daria, a receptividade que você naturalmente sentiria diante essa situação. Imagine-se oferecendo a sincera bondade, o senso de humanidade compartilhada e através da conexão e uma lembrança amorosa para permanecer no momento. (sem julgamentos).

Lembre-se que a prática de autocompaixão é simplesmente nos tratar da maneira que tratamos um bom amigo.

Convidamo a você a uma breve prática:

“Feche seus olhos por um momento, e respire algumas vezes profundamente. Permita-se sentir exatamente onde você está, trazendo sua atenção para o aqui e o agora. Comece a acalmar a sua respiração, talvez inalando e exalando profundamente. Agora traga em mente um  momento em que você teve dificuldades com a comida, permita-se lembrar e sentir isso, mas não se perca ou agarre-se a isso. Lembre-se da compaixão que você sentiu por um amigo em alguma situação difícil e comece a se imaginar tendo a mesma bondade, conexão, e atenção gentil direcionadas à você. Permita-se sentir a mesma simpatia, afetuosidade, e palavras de suporte que você ofereceu para seu amigo. Respire e reflita sobre isso por alguns minutos, notando a sensação de ser nutrido por dentro.

Autocompaixão está sempre disponível para nós, é algo que podemos praticar várias e várias vezes. Quando você estiver pronto, volte sua atenção para respiração e abra os olhos suavemente”

Tradução: Maria Beatrix Stern (estudante de Nutrição da USP – Ribeirão Preto)
Revisão: Driele Quinhoneiro

Fonte: The Center for Mindful Eating (TCME) The Practice of Self-Compassion and Eating by Darith James – https://www.thecenterformindfuleating.org/TCME-Blog/7233471


 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *