(14) 99151.5802
contato@drielequinhoneiro.com

Mindfulness

“Já que tudo é um reflexo das nossas mentes, tudo pode ser mudado pelas nossas mentes”. Buda

 

Para começar a se aproximar do que é Mindfulness (traduzido em português como atenção plena), convidamos você a parar por alguns instantes e fechar os olhos (PAUSA).

Como foi? Surgiram pensamentos? Lembranças? Afazeres do dia?

Bom, era exatamente isso.

Quando paramos alguns instantes para observar o movimento da mente percebemos que ficamos muito tempo imersos lembrando, interpretando, julgando coisas que já aconteceram ou planejando coisas que ainda vão acontecer.

Mindfulness é um estado mental de vivenciar o momento presente, ou seja, o que acontece aqui e agora.

Mindfulness é uma habilidade inata do ser humano, o que isso significa?
Esse estado de estar presente já mora dentro de nós, no entanto, podemos cultivá-lo, por exemplo, através das práticas meditativas.

Outro ponto chave é que quando falamos de Mindfulness podemos associálo a um contexto laico (sem qualquer ligação com religiosidade), o que permite que o mesmo possa ser praticado amplamente em inúmeros contextos como empresas, universidades, escolas, hospitais e outros.

 


ESTUDO DE HARVARD

“UMA MENTE DISTRAÍDA É UMA MENTE INFELIZ”

47% DO NOSSOS TEMPO ESTAMOS DISTRAÍDOS

OS NÍVEIS DE FELICIDADE DEPENDEM DO NOSSO FOCO DE ATENÇÃO


 

Sem sombra dúvidas a aquisição de um cérebro capaz de planejar, associar ideias, interpretar é um ganho para o ser humano, no entanto, permanecer somente nessas funções tem traduzido um grande ônus como a perda da capacidade de sentir e principalmente a curiosidade.

Mindfulness é a reconexão com o sentir a vida, as pessoas e o corpo. É voltar para casa. É se sentir parte do todo. E deixar todo o pensar e refletir um pouco de lado e confiar na sabedoria interna, no corpo. Driele Quinhoneiro

Referências Bibliográficas:

Almeida N, Rodrigues C. (2015). The Practice of Mindfulness Contributions for Paraperceptiology.
Disponível em http://www.ceaec.org/index.php/conscientia/article/viewFile/705/681

Gilbert D, Killingsworth M. (2010). A Wandering Mind Is an Unhappy Mind.
Disponível em http://science.sciencemag.org/content/330/6006/932